CONHEÇA QUIXADÁ

QUIXADÁ
LOCALIZAÇÃO E ACESSO
Municípios deste destinoQuixadá, Quixeramobim, Ibicuitinga, Choro, Ibaretama...

COMO CHEGAR: A partir de Fortaleza, siga pela rodovia BR-116 até o trevo entre Chorozinho e Boqueirão do Cezário. No trevo vire à esquerda e siga pela BR-122 até Quixadá.
DISTÂNCIA DAS CAPITAIS: Fortaleza: 168km- São Paulo: 3.277km- Brasília: 2.327km
DADOS GPS: Latitude: 4°58Longitude: 39°00 Açude cedro ao fundo Galinha Choca
AEROPORTO MAIS PRÓXIMO: Fortaleza

GEOGRAFIA e HISTÓRIA
HABITANTES: 73.863
CLIMA:O clima semi-árido da região, com secas e chuvas curtas, mas torrenciais, é o responsável por esculpir as curiosas formas nas pedras. A temperatura média anual é de 26,7º C, e a região possui grandes variações pluviométricas (média anual de 818 mm). Os meses chuvosos correspondem com o meio da primavera até o final do verão.

VEGETAÇÃO: O clima quente e seco é perfeito para a vegetação verde da caatinga, no inverno, e caracteristicamente representado por cacto e juazeiros, no restante do ano. Logo após o período de chuvas o tradicional verde da região é incrementado com o colorido das flores, principalmente de árvores e arbustos. A caatinga é um típico exemplo de como a vegetação se adapta ao clima, com plantas de folhas pequenas ou algumas até com a capacidade de armazenar água, como o cacto.

RELEVO: A cidade fica no “Sertão Central” do Ceará, com o solo caracterizado por enxarcar rapidamente com as chuvas torrenciais, mas que também ressecam facilmente. Os monólitos dominam a região, são rochas graníticas, formadas no sub-solo, que vieram à tona após 580 milhões de anos com a erosão. As fortes chuvas da região, mesmo que em pancadas rápidas, são as responsáveis pelo recorte da paisagem. Algumas pedras chegam a atingir 90 metros de altura.

HISTÓRIA E CULTURA: A expansão das fazendas com criação extensiva de gado foi a responsável pela descoberta da região de Quixadá. A hostilidade dos habitantes da região, índios do grupo Tararíus, foi um obstáculo para a colonização do local e só conseguiu ser vencida em 1705. Até 1870 o povoado fez parte do município vizinho, Quixeramobim, mas depois foi emancipado.

INFORMAÇÕES ÚTEIS
TELEFONES: (o código DDD da região é 88)

Prefeitura: (88) 3412-3864
Hospital: (88) 3412-8556

BANCOS DA REGIÃO: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Bando do Nordeste,


DICAS GERAIS
O QUE LEVAR: Usar bermuda, camiseta e tênis. Para algumas trilhas é necessário usar calça comprida. É indicado o uso do protetor solar, chapéu e traje de banho. Não esqueça de levar um suprimento de água, pois a região é muito seca. Uma máquina fotográfica e um binóculo são excelentes acessórios.

DICAS ESPECIAIS: Para o passeio nas trilhas de Quixadá, o número máximo permitido é de 12 pessoas e é obrigatória a presença de um guia local. Para escalada e Vôo Livre, principalmente, não esqueça de checar o calendário de chuvas da região.

HOSPEDAGEM: Quixadá é uma cidade que vive do turismo e tem uma rede hoteleira bem diversificada. Nos períodos de eventos grandes, como o Mundial de Vôo Livre, entre outubro e novembro, a cidade costuma lotar. Faça reserva com antecedência.

ALIMENTAÇÃO: Pratos a base de carne-de-sol são os mais tradicionais da região. Quixadá possui restaurantes de comida típica a preços mais em conta do que na capital. É possível encontrar pratos como Buchada, Panelada, Baião de dois,Carne de Sol, Carneiro Guisado ou Assado, Galinha a Cabidela, Capote, Peixada e Tilápia Frita.

Fotos:

Açude com Pedra Galinha Choca ao fundo
Foto: Divulgação










Parapente na Serra do Urucum
Foto: Divulgação
Quixadá é uma opção de turismo e aventura no Nordeste que não envolve praia. Aliás, seu principal atrativo está nos ares. A cidade é considerada o melhor local para a prática de Vôo Livre na América do Sul, devido à grande quantidade de térmicas na região. Quixadá sedia o campeonato internacional do esporte. Para outros aventureiros, as enormes pedras que envolvem a cidade proporcionam ótimas opções de rapel e escalada. A palavra Quixadá em tupi-guarani quer dizer “pedra de ponta curvada”. Fica situada na região central do Ceará e também é palco do Sertão Esporte Radical, evento que reúne praticantes de escalada, rapel, arvorismo, vôo livre, motocross, mountain bike, corrida de orientação, off road e enduro eqüestre do Nordeste e outras regiões do país.
Atividades relacionadas: Cavalgada, Escalada em rocha, Mountain Bike, Off-Road, Paraglading, Rapel, Trekking, Vôo-Livre ATRAÇÕES

GALINHA CHOCA Em apenas cinco quilômetros do centro de Quixadá, a pedra da Galinha Choca é a mais famosa da região, por ter o formato de uma galinha chocando e ser uma das mais altas. É preciso caminhar mais dois quilômetros e meio para atingir a base do paredão.AÇUDE DO CEDROUma barragem centenária, construída ainda no tempo de Dom Pedro II e com projeto de 1877, ainda barra a água de um açude natural rodeado por pedras. Essa é a cena que encontra que chega no Açude do Cedro. As pedras da região são um bom local para a prática de rapel e é de lá que sai a trilha para o topo da Galinha Choca. A Pedra da Faladeira, nas margens do açude, é um bom local para escalada.SANTUÁRIONo topo da Serra do Urucum existe o santuário de Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão. O local fica a 12 quilômetros do centro de Quixadá e possui uma rampa de onde saem a maioria dos aventureiros que praticam Vôo Livre na região. Com as térmicas, é possível ficar mais de cinco horas no ar.LAGOA DOS MONÓLITOSMais novo atrativo turístico da região, a Lagoa dos Monólitos – tipo das pedras características da região – possui atrações para vários esportes de aventura: pistas de Off-road, Mountain Bike e Moto, com trilhas de diferentes níveis de dificuldade e solo irregular. Também é comum a prática do Trekking nas margens no lago. SERRA DO ESTEVÃOO local possui uma vegetação e clima particular ao resto do Sertão cearense. A serra, com altitude superior a 400 metros, possui florestas mais densas e no período de chuvas oferece cachoeiras e lagos para banho. O local também é famoso por ter a pousada onde o ex-presidente Castelo Branco passou sua última noite, antes do acidente com o avião que voltava para Fortaleza. TRILHA DA BARRIGUDA É uma trilha onde é possível ver de perto as mais fortes características de Quixadá, os monólitos esculpidos pela erosão e a vegetação de grande porte. O caminho contorna a Pedra do Magé, e ao chegar nela os visitantes entram em um túnel escavado na rocha de dez metros até uma clareira. No meio existe uma enorme paineira, a “Barriguda” – que dá nome à trilha –, árvore que precisa de cinco pessoas para abraça-la. Saindo de Quixadá são 700 metros de asfalto e mais 2,3 quilômetros em terra até a Fazenda Magé, base do passeio. Grau de dificuldade é considerado fácil e o passeio tem direito a um mergulho em uma piscina.TRILHA DO OLHO D'ÁGUAA caminhada entre as árvores secas no período de estiagem leva a um olho d’água na serra e tem a opção de seguir até o topo da Serra do Caboclo. É possível encontrar escrituras rupestres pelo caminho, além de vegetação típica do sertão, que abriga animais em extinção como o veado e o tamanduá. A saída é por Quixeramobim, com 15 quilômetros de asfaltoTRILHA DO BOQUEIRÃO Um passeio único em Quixadá, a Trilha do Boqueirão é rodeada de pedras altas e arredondadas, que circulam um lindo açude. Por causa da água a vegetação é mais verde e segue assim durante todo o ano. A partir de Quixadá são 23 quilômetros de asfalto e mais seis de terra até a Fazenda Reduto.TRILHA CABEÇA DO GIGANTEO contato com cavernas e a possibilidade de praticar o montanhismo, até pra os iniciantes, é a grande atração dessa trilha, que segue pelas serras da região. A trilha tem grau de dificuldade médio e dura cerca de duas horas. Uma escultura natural, com três grandes arcos de pedra que se assemelham a uma cabeça de gigante batiza a trilha. A Fazenda Santa Fé fica a quatro quilômetros de asfalto de Quixadá.

Fonte
http://www.zone.com.br/destinoaventura/index.php?destino=destino_mostra_detalhes&mdireito=nao&id_destinos=96&secao=fotos

1 comentários: