A GRANDE MÍDIA IMPEDE O CONTRADITÓRIO. O TORTO GARANTE A DIVULGAÇÃO DO OUTRO LADO DA NOTÍCIA

0 comentários


Mais notícias corroboram a informação aqui prestada e atestam a imparcialidade do blog O TORTO.


Será que alguém duvida que a grande mídia é altamente comprometida com as "grandes causas"? As causas de seus interesses. Já sabemos que a grande mídia serve essencialmente aos interesses das grandes corporações. E, agora, ano pré-eleitoral, o lançamento de pré-candidaturas já é suficiente para provocar ataques. Só que tucanos e demos, profissionais da mistificação "perfeita" e dos crimes "sem rastros" cometerem um pecado mortal. Expuseram a esposa de um ex-ministro de FHC que lançou na mídia uma denúncia (que não é bem uma denúncia) extemporânea sem comprovação, sem data, sem testemunhas e foi, na hora do depoimento, assessorada pelo próprio marido que, como um "ponto", soprava as respostas no seu ouvido. Leia o texto abaixo:

Além dos leitores do Balaio, vários blogs trataram do papel do marido de Lina Vieira no bate-boca que a envolve com a ministra Dilma Roussef. O amigo Washington Araújo, do Rio, me chamou a atenção para o que escreveu José Sergio Rocha no blog “Quem é vivo sempre aparece” (ver link e reprodução abaixo). Este tipo de comentário você não vai ver em nenhum dos jornais ou agências citados pelo Sandro Vaia em seu artigo como fornecedores únicos de matéria prima para a blogosfera.
http://quemevivo.blogspot.com/2009/08/tem-gato-na-tuba-do-depoimento-de-lina.html
Jabuti não sobe em árvore. Se subiu, só se alguém botou.
Quem assistiu pelo menos parte do depoimento da ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira, na Comissão de Constituição e Justiça, com transmissão pela TV Senado e Globonews, vai lembrar que um cidadão constantemente sussurrava uns bizus no ouvido da moça. Isso é normal, coisa de assessor. Só que o cara não parava quieto.
Essa vontade de aparecer a qualquer custo tem seu preço. No meio de uma pergunta do Mercadante, o assessor lá estava cochichando nas orelhas da Lina. O bigodudo petista, que já estava meio enfurecido, deu-lhe um esporro, pois estava atrapalhando o trabalho da comissão.
Pois é, o cara chamou tanta atenção que foram descobrir quem era. Não era assessor coisa alguma. Era o marido da Lina.
Até aí, tudo bem. É que nem um velho anúncio do Gelol: não basta ser marido, tem que participar.
Ontem, lendo o blog Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim, deparei-me com a seguinte informação: o marido da Lina, publicitário e marqueteiro no Rio Grande do Norte, chama-se Alexandre Firmino de Melo Filho e foi (pasmem) ministro interino da Integração Nacional durante quase um ano (entre agosto de 1999 e julho de 2000), no governo de Fernando Henrique Cardoso.
Ou seja, mais um episódio da novela “Como é sujo o jogo da política”. Foi, portanto, encenação pura aquele depoimento sobre um encontro que a depoente teria tido com Dilma Rousseff numa data que não soube precisar – nem hora, nem dia, nem semana e nem mesmo o mês em que aconteceu.
A ex-secretária da Receita parecia firme, sincera e convincente, apesar desses “detalhes”. Mas o maridão foi arroz de festa e estragou tudo.
Alguém leu essa notícia em qualquer grande jornal?
Agora, imagine o oposto. Vamos que outra senhora, dona Maria das Couves, ocupasse o mesmo cargo num futuro governo tucano.
Foi demitida por esse governo, tomou ódio de alguém desse mesmo governo e, quando surgiu a oportunidade, resolveu abrir a boca, sendo assessorada pelo marido que, antes daquele governo, foi ministro do PT.
Não seria desmascarado logo que entrasse na sala da comissão?
Tem gato na tuba desse depoimento. Na caixinha de música, o coral Garganta Profunda canta essa pérola do Braguinha.

Leia mais no blog QUEM É VIVO é só clicar no link.

E ASSIM CAMINHA QUIXADÁ

0 comentários

BURACOS TOMAM CONTA DA ENTRADA DE QUIXADÁ
Se a entrada é o primeiro cartão postal de uma cidade. Se é verdade, Quixadá deve afastar seus visitantes e turistas, uma vez que a principal via de acesso à idade está empessimas condições de tráfego.

Os carros que antes não passavam pelo lado direito de quem chega ao município, por não oferecer segurança, agora voltaram a transitar por esta via, uma vez que o outro lado está ficando numa situação ainda pior.

Para piorar a situação as autoridades ficam inertes ao problema que só se agrava. A administração diz que a responsabilidade naquele trecho é do Estado e solicitou autorização para fazer a obra, e até o presente momento não recebeu resposta.

Enquanto isso quem necessita transitar pelo local sofre com a situação. É preciso medidas urgentes.

Foto: blog do cristiano

PREVISÕES EQUIVOCADAS

0 comentários

Diferente do que pensavam os líderes do partido e aliados de Luiziane, e divulgado por nós a prefeita de Fortaleza não será candidatu única a presidênia do PT no Ceará.. vejamos NOTÍCIA PUBLICADO NO JORNAL O ESTADO.

Ao contrário do que os aliados de Luizianne Lins alardearam durante a coletiva de domingo, em que a prefeita oficializou sua candidatura à Presidência Estadual do PT, ela não será a única a reivindicar o cargo. Mais um nome surgiu na sucessão do partido.
Ligada à corrente “O trabalho”, Maria José Chaves de Morais – a Zezé Morais - também se colocou como candidata a presidente pela chapa “Terra, Trabalho e Soberania”. O prazo de inscrição para o Processo de Eleição Direta (PED) encerrou ontem, às 20h, com as duas como indicadas ao posto. Luizianne representa a tendência Democracia Socialista (DS).O PED acontece em novembro e é o Diretório Estadual quem escolhe a nova dirigente a partir dos votos dos seus 55 componentes. Para o Diretório, sete chapas se inscreveram.
Hoje, a comissão responsável pelo PED reúne-se às 11h, na sede do PT em Fortaleza, para averiguar as fichas de inscrição. “Checaremos se há atecnias”, explicou o secretário de organização, Aroldo Pontes. Caso existam erros nos documentos, o prazo para correção é de dez dias.
FAZ PARTE.
O líder de Luizianne na Câmara Municipal de Fortaleza, Acrísio Sena (PT), classificou a inscrição da professora Zezé Morais como “coisa da democracia petista e apenas para demarcar território”.

Segundo ele, a candidatura não tem a menor chance de desbancar a da prefeita. “Temos 99% dos votos já. Ela [Luizianne] já é presidente do PT. Falta só homologar”, afirmou.

O Estado tentou contato com Zezé Morais, mas os números fornecidos pelo partido não correspondiam ao da residência da petista. O PT não soube informar o celular dela.
Confiram no site: http://www.oestadoce.com.br/?acao=noticias&subacao=ler_noticia&cadernoID=12&noticiaID=16323

PROPAGANDA ENGANOSA

0 comentários

COELCE, A MELHOR EMPRESA DO RAMO

Outro dia assistindo televisão vi uma propaganda que me chamou muito a atenção: a Companhia Energética do Ceará dizia ter sido escolhida (eleita ou coisa parecida), a melhor empresa o ramo no Brasil.


Partindo dessa premissa, fica no ar dois qustionamentos.

1. Como uma empresa que é lider em reclamações nos Decons, Procons e Juizados Especiais (órgãos que visam proteger as relações de consumo), juntamente com as empresas de telefonia, pode ser a melhor;

2. Se assim o fosse (a melhor), imagine a situação das outras empresas energéticas e o que devem sofrer seus consumidores.


Não "... acredito que estou vivendo em outro mundo". Será!

AÍ TEM DENTE DE COELHO. QUER SABER MAIS SOBRE A ENCENAÇÃO DE LINA VIEIRA? O TORTO ESCLARECE!!!

1 comentários


INTERESSES ESPÚRIOS CRIAM FATOS POLÍTICOS NA MÍDIA.

Nada acontece por acaso. Toda essa celeuma em torno de um possível encontro entre a ministra Dilma Roussef e a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira parece mais uma farsa montada com interesses eleitoreiros de médio prazo.
Lançada candidata, a ministra Dilma, virou alvo preferido da escória desse país. Parodiando o manifesto Comunista de 1848 (impropriamente chamado de manifesto do Partido Comunista), poderíamos dizer: Todas as forças reacionárias deste país "unem-se numa Santa Aliança para conjurá-la": PSDB, DEMO, UDR, viúvas e órfãos da ditadura, saqueadores notórios do erário público, et caterva.

Vejamos o que nos informa um internauta Tadeu Jr.

postado:25/08/2009 - 10h03
Mais um factoide criado para essa novela . Será quem não vêem que a receita está passando por uma faxina ??? Que esses 'funcionários' ligados a banda podre da receita se desligaram porque ja iriam ser incompatibilizados ...
Os cargos são de confiança e esses servidores que subiram foram prestigiados pela política de acender funcionários de carreira , mas abusaram da boa fé e usaram os cargos para para trabalhar contra a gestão dos trabalhadores ...
E agora estão tentando criar mais um fato para manter-se na mídia ... A reforma administrativa da receita era inevitável e esses 'servidores' aproveitaram desse momento de exposição para mais uma vez tentar desestabilizar e fazer a opinião pública acreditar que aquele teatro , orquestrado pelo PSDB e pelo PFL ( Democratas ... O marketing fazendo seu papel mas continuam sendo extrema direita ) ... Mas a verdade já está ai ...
A senhora Lina é casada com um ex ministro do governo FHC , sócio de uma empresa de Marketing que trabalhou para o Senador Jose Agripino , que aliás foi quem convidou a Atriz para encenar aquela comédia pastelão na comissão de constituição e justiça .
.. A que nível chegou a Oposição ... Mas isso é bom para mostrar a população brasileira que o terror continua em sua busca de voltar ao poder , mas a verdade e a esperança não irão deixa-los voltar sem lutar e sem desmascará-los.
Marido de secretária é marqueteiro de Agripino, do DEMo.
O jornalista Luiz Antônio Magalhães noticiou em seu blog Entrelinhas uma boa pista do que pode ter movido a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira.
Vejam só que interessante: 'O marido de Lina Vieira chama-se Alexandre Firmino. É sócio da agência de publicidade Dois.A, de Natal. Tudo isto é fato. Também é fato que a Dois.A realizou campanhas para o senador José Agripino Maia (DEM-RN). Dois e dois são quatro, mas em alguns casos podem também ser cinco'.
Para quem não se lembra, Agripino Maia, vulgo Tião Gavião, é aquele sujeito que foi humilhado pela Dilma durante uma dessas CPIs da vida, quando a ministra lembrou que durante a ditadura militar ambos lutavam de lados opostos. Ela a favor da liberdade e da democracia, ele a favor dos ditadores e torturadores.
Enfim, diga-me com quem tu andas que eu direi quem tu és... Precisa dizer algo mais?
Se existem denúncias de corrupção é porque existe apuração , não existe omissão de informação para população ...
O maior saque contra o povo brasileiro ocorreu com as PRIVATIZAÇÔES , e esses funcionários de carreira da receita , se omitiram na época ou foram cooptados e não moveram uma palha para apurar nenhum fato desse episódio triste ...
E os que fizeram ( no caso por exemplo do ex presidente Itamar franco que mandou a PM de Minas ocupar as sedes da VALE DO RIO DOCE em MINAS ) foram ridicularizados e desacreditados ... Mas a História lhes relegara o papel de Heróis.

LEIA COM ATENÇÃO:

Alexandre Firmino de Melo Filho, cidadão brasileiro nascido em Natal, em 1956, foi ministro interino da Integração Regional entre 20 de agosto de 1999 e 17 de julho de 2000? Basta conferir a lista de ministros, aqui. Bem, este tal Alexandre Firmino de Melo Filho é o mesmo Alexandre Firmino que casou-se com a bela Lina? Este blog não tem certeza, mas foi pesquisar um pouco e descobriu que o Firmino de Melo Filho faz parte da diretoria da Abigraf (Associação Brasileira da Indústria Gráfica) do Rio Grande do Norte. Também é Vice-Presidente de Marketing e Relacionamento da Câmara Brasil Portugal do Rio Grande do Norte. Alô, Lina, conta aí o nome completo do seu marido!

Na charge as vestais do senado. Difícil compreender como esses senhores (Cristovam Buarque e Pedro Simon) se irmanam e se nivelam com Artur Virgílio nessa cruzada pseudo-moralista. Será que todos têm em comum o "rabo preso"?
Nota do blog: Confira as informações nos links que colocamos nas postagens. Nosso compromisso é com a informação e com a garantia do contraditório.
QUER SABER MUITO MAIS? LEIA ARTIGOS DA FOLHA DE SÃO PAULO E DO BLOG ACERTO DE CONTAS. - CLIQUE NO LINK

LUIZIANE É CANDIDATA COM APOIO UNANIME

1 comentários

EX-PRFEITO DE QUIXADÁ ILÁRIO MARQUES NÃO SERÁ MAIS CANDIDATO A PRESIDENTE DO PARTIDO DOS TRABALHADORS NO CEARÁ
Na política quixadaense o papo do momento é a “desistência” do ex-prefeito de Quixadá de concorrer à presidência do PT.

Sem apoio dentro do partido e após o anúncio da Prefeita de Fortaleza Luiziane Lins que será candidata a presidência do Partido dos Trabalhadores no Ceará, o atual presidente se viu obrigado a desistir à reeleição.

O comentário é o de que esse isolamento político é fruto de uma política centralizadora e não participativa. O cenário já vinha sendo desenhado a algum tempo. Ilário não contava mais como apoio irrestrito nem mesmo em Quixadá, sua base eleitoral.

Levando em conta que em algumas cidades como Senador Pompeu, Banabuiú e outras, o ex-prefeito perdeu o apoio, a previsão não é das mais otimistas para 2010.

Como Ilário Marques declarou no blog do Eliomar que desistia da candidatura em prol da coesão e fortalecimento do partido, Luiziane é candidate com apoio unânime do partido.

GLOBO X RECORD::A BRIGA CONTINUA

0 comentários

APÓS 16 ANOS, RECORD COMPRA DIREITOS DE FILME-BOMBA SOBRE A GLOBO
A TV Record acaba de fazer uma aquisição poderosa, ao comprar o explosivo documentário Muito Além do Cidadão Kane (Beyond Citizen Kane). Transmitido pela primeira vez em 1993, no Reino Unido, o filme é um contundente libelo contra a TV Globo e a família Marinho.

Embora só tenha fechado o negócio nesta semana, a Record já havia tentado adquirir os direitos de exibição para TV brasileira nos anos 90. Segundo a Folha Online, o material saiu por menos de US$ 20 mil para a emissora do bispo Edir Macedo.Desde a semana passada — quando Globo e Record começaram a se atracar em rede nacional —, o nome da produção voltou à baila. A Record já vinha veiculando trechos do documentário em seus telejornais noturnos antes da aquisição. O filme chegou a ser citado, por exemplo, no Repórter Record de domingo (16).No entanto, quase tudo o que se diz sobre Muito Além do Cidadão Kane — de sua suposta proibição à autoria do trabalho — é equivocado. O documentário mostra o empresário Roberto Marinho (1904-2003) como ícone da concentração da mídia no Brasil — daí a referência a Charles Foster Kane, magnata das comunicações vivido pelo cineasta Orson Welles em Cidadão Kane (1941). Simon Hartog, diretor da obra, morreu em 1992, antes de o trabalho ser exibido. Seu produtor e braço-direito era John Ellis, que se tornou a partir daí o responsável pelo projeto. Ellis deteve, até o começo desta semana, o direito de exibição do filme em TV aberta no Brasil, agora na mão da Record. Mesmo legendado de forma capenga, o documentário circulava em VHS e se transformou num "hit" no país — antes de a internet ser o que é hoje. Custou cerca de US$ 260 mil (cerca de R$ 445 mil) à extinta empresa Large Door, na qual Hartog e Ellis eram sócios. A produtora independente fez o longa para o canal britânico Channel 4, responsável por sua transmissão. Diferentemente do que a própria Record insiste em divulgar, a BBC nunca teve ligação nenhuma com a produção. Curiosidade: uma das maiores audiências do Channel 4 é o Big Brother, também carro-chefe da Globo. BastidoresEm entrevista à Folha de S.Paulo, publicada em fevereiro do ano passado, Ellis revelou que tanto Globo quanto Record tentaram comprar os direitos do filme nos anos 90 — a primeira para engavetá-lo, a segunda pare exibi-lo. Ainda segundo Ellis, o título nunca foi proibido ou embargado pela Justiça brasileira. "A igreja (Universal do Reino de Deus) já tinha uma filial em Londres naquela época (começo dos anos 90). Mas percebeu que haveria uma disputa judicial com a TV Globo a respeito das muitas imagens retiradas da programação deles. Então decidiu não comprá-lo", relatou o produtor. Agora, a Record pode se concentrar em exibir os trechos "autorais" do filme — ou seja, limar as imagens da TV Globo e focar nos relatos e entrevistas.Políticos como Leonel Brizola (1922-2004), Antonio Carlos Magalhães (1927-2007) e Luiz Inácio Lula da Silva — apresentado então como líder sindical — falam sobre a emissora carioca no filme. “Nada se faz (no Brasil) sem consultar o dr. Roberto Marinho. É assustador", acusa o cantor e compositor Chico Buarque, no início da fita.

Fonte: vermelho.orgbr

ELEIÇÕES 2010

0 comentários

PESQUISA VOX POPULI: SERRA 30%, DILMA 21%, CIRO 17%

O jornal da Band da noite desta terça-feira (18) divulgou os resultados de uma pesquisa do Vox Populi em que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB) tem 30% dos votos para presidente da República em 2010 e a ministra Dilma Rousseff tem 21%. É a primeira vez que um instituto de pesquisa aponta apenas 9 pontos de distância entre Serra e Dilma.

No mesmo cenário, Ciro Gomes (PSB) aparece em terceiro, com 17%, e Heloisa Helena, (PSOL), tem 12%.

Com entrevistas coletadas entre 31 de julho e 4 de agosto, a pesquisa não testou o nome da senadora Marina da Silva, que anunciou hoje seu desligamento do PT e deve se candidatar à Presidência pelo PV.Em um segundo cenário, sem Ciro, Serra alcança 36%, Dilma 24%, e Heloisa Helena 16%.Dilma Rousseff aparece em primeiro lugar, com 25% das intenções de voto, quando o candidato tucano é o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB). Aécio fica em segundo, com 21%, seguido por Heloisa Helena, com 18%Em um cenário com Aécio e Ciro, Dilma aparece com 21%, em um empate técnico com Ciro, que tem 20%. Outros 17% dos entrevistados preferem Aécio, e 12%, Heloísa Helena.A margem de erro da pesquisa encomendada pela Band é de 2,2 pontos percentuais. Dois mil eleitores foram ouvidos em 24 Estados. Por ser a primeira pesquisa da série, não é possível apontar tendências ao recuo ou avanço das intenções de voto em cada candidato.A pesquisa Datafolha publicada pela Folha de S.Paulo no último domingo (16) – porém com entrevistas coletadas há menos tempo, entre os dias 11 e 13 – mostra os presidenciáveis nas mesmas posições podém com números bem diferentes.No cenário com Serra, Dilma, Ciro e Heloísa, o governador paulista aparece com 37% (7 pontos a mais que no Vox Populi) e a ministra com 16% (5 pontos a menos). Ciro figura com 15% (2 pontos a menos). Apenas Heloísa Helena tem os mesmos 12% nas pesquisas dos dois institutos. O Datafolha ouviu os eleitores sobre dois cenários em que aparece o nome de Marina, que tevem em ambos 3% das intenções de voto.

PROF. JARDS NOBRE LANÇA LIVRO EM QUIXADÁ

4 comentários

CURRAL DE PEDRAS”, O PRIMEIRO ROMANCE DO PROF. JARDS NOBRE.
Na última quinta-feira(13), ocorreu o lançamento do primeiro romance “Curral de Pedras”, do prof. Jards Nobre.
Um coquetel líterário-musical realizado na Biblioteca Pública Pe. Francisco Clineu Ferreira, abrilhantado pelas interpretações musicais de Raimundo Lopes.


O evento contou com a presença de inúmeras personalidades do meio cultural e político de nossa cidade.
Jards demonstrou em seu discurso o gosto apurado pelos mais diversos estilos literários, que ao longo dos anos influenciaram o seu modo de enxergar o cotidiano através de uma visão artística, bem como as influências que o fizeram enveredar pela boa arte da prosa.


Parabéns ao Prof. Jards pelo livro, maisuma fonte de interpretação e maneira de ver o sertão.

Fonte: Revista Central

NA BRIGA PELA AUDIÊNCIA GLOBO ATACA RECORD E RECEBE CONTRA-GOLPE

0 comentários

GLOBO X RECORD; E A BRIGA CONTINUA
Como se não bastasse as baixarias e o baixo nível da programação de ambas as emissoras, elas continuam nessa luta de empurra,empurra de denúncias para um lado, denuncias para o outro, e enquanto isso continuam as duas imune a todas elas, como se nada tivesse acontecido.

È importante dizer que essa reciprocidade de acusações não começou hoje e parece sem data prevista para acabar. Em 1993 um documentário chamado “Muito Além do Cidadão Kane/Beyond Citzen Kane” já fazia sérias críticas a Rede Globo.

De lá para cá, a Rede Record cresceu muito, e hoje assusta a poderosa Globo, que de vez em quando dá suas alfinetadas na concorrente, que por sua vez revida. Interessante é que ambas se calam frente as denúncias, como se não fossem feitas a nenhuma delas. E o povo tendo que agüentar as baixarias do “enviado do senhor” X “enviado do capeta”. Quem é enviado de quem pouco importa, até porque mais parece farinha do mesmo saco.

Atire a primeira pedra.

ABANDONA O CENÁRIO EXUBERANTE DE QUIXADÁ UM PERSONAGEM ONIPRESENTE: :MARINHO SILENCIA

1 comentários



AMIGOS QUIXADAENSES
Registro aqui meu imenso pesar pela morte do Marinho. Tenho dele boas recordações em que pese a nossas eternas divergências do ponto de vista ideológico e político. Só convergíamos em um aspecto: éramos torcedores do Leão. Mas, eu nunca tratei de futebol com o Marinho.
No período crítico vivenciado pela FECLESC, nos idos de 1987, Marinho integrou-se aos que lutavam pela sobrevivência da Instituição.
Como foi isso?
Vejamos. Na época, as comissões de verificação de Cursos do antigo Conselho Federal de Educação (que vinham verificar "in loco" a estrutura das instituições para emitir parecer sobre cursos que estavam pretendendo autorização ou reconhecimento) estavam vindo a Quixadá para fazer a vistoria na FECLESC.
Um dia tínhamos que transportar a comissão de Pedagogia constituída por dois professores da Universidade Federal da Paraíba cujos nomes não me ocorrem agora. A UECE não tinha nenhum carro para transportá-los a Quixadá. De maneira temerária resolvi comprar um carro usado, um corcel II, em uma revenda do Kleiton, esposo da professora Beliza, que facilitou a compra, para que eu pudesse usá-lo na viagem para Quixadá.
Apanhei os professores no hotel e segui a BR 116. Tencionava depois prosseguir pela estrada do Algodão mas não foi possível. Na descida que dava acesso a Pacajús percebi que o ponteiro da temperatura estava no seu limite. Parei o carro e junto com o professor visitante, inadvertidamente, colocamos água fria, de uma carroça que passava, no radiador do carro. Com o motor superaquecido a junta do tampão fundiu. Empurramos o carro até uma oficina próxima e pegamos carona no carro da Beliza e em outro carro de uma sra. que ia para Quixadá. Dia seguinte os profs. Jacinto e Miguel vieram resolver o problema e levar o carro de volta. Não confiei no veículo e pedi um carro da prefeitura de Quixadá para o retorno dos professores.
E aí entrou o Marinho na história da gloriosa FECLESC. Ele dirigiu o passat vermelho metálico da Secretaria de Educação, conduziu-nos com prudência e nos tratou com muita cortesia, levnado-nos, confortavelmente, ao nosso destino.
Geralmente, quando nos encontrávamos, Marinho comentava esse fato, com muita certa vaidade e satisfação. Era a sua colaboração valiosa, mais que simbólica, efetiva, além do discurso. Estava contribuindo como o beija-flor da historinha. (Clique para conhecer a versão do Betinho). na vida, mais que os símbolos, valem os gestos. Dentro de seus limites, Marinho fez a sua parte, na hora em que foi solicitado.
Discutíamos muito sobre política. Nunca chegamos a consenso nessa temática. Nunca houve confrontos deselegantes. Na sua simplicidade, na sua alegria quase ingênua, Marinho sempre se portou como um cavalheiro. Marinho sempre acreditou nas idéias que defendia e mantinha uma lealdade irrestrita a seus aliados. Entre nós persistiu uma relação de respeito mútuo, mesmo na refrega das vésperas de eleição.
Talvez seja uma evidência de envelhecimento, mas confesso que me emocionei com o impacto da notícia do passamento de Marinho. O cenário exuberante de Quixadá vai se ressentir de ausência uma figura humana que não se permitiu ser apenas um figurante. Fez-se personagem da política e contribuiu de maneira modesta, mas objetiva, para a consolidação da querida e imortal FECLESC. E, houve tantos omissos!!! Quantas avestruzes enfiaram a cabeça no buraco na hora do sofrimento! (clique para saber como as avestruzes se comportam na hora da tempestade).
Quis o destino que Marinho abandonasse a arquibancada no momento em que o Fortaleza enfrenta uma de suas maiores crises com ameaça de rebaixamento para o grupo C. Quem sabe, da outra dimensão onde se encontra, possa ele conseguir um reforço extraterreno para o Leão.
Há anos pretendo fazer um resgate da saga da FECLESC para repor a verdade tão distorcida, de modo leviano e irresponsável, por quem não vivenciou, como ator, nossa luta desigual e sequer se preocupa com o rigor científico e a isenção que devem reger as pesquisas históricas. Lamentável!!!
Não permita Deus que eu parta deste mundo sem que concretize esse último sonho. Lá, certamente, haverá um lugar para o Marinho e tantos outros atores que, mesmo de maneira incidental ou acidental, acrescentaram um tijolinho na edificação da nossa querida FECLESC.
Estou com muitas saudades Marinho. Você também faz parte de nossa história, a história verdadeira e desmistificada da maior conquista do povo do Sertão no capítulo de suas expectativas de libertação, de quebra dos grilhões, de combate ao coronelismo e à exploração.
Um grande abraço
Gilberto Telmo Sidney Marques

P.S. Reginaldo,se possível, ponha uma foto do Marinho nos seus bons momentos.
Esta postagem, na sua forma original e não editada, foi publicada ontem no blog do Cristiano. Clique para conferir.
O texto poderá ser reproduzido por todos os meios disponíveis, desde que citada a fonte.

E NO SENADO...

0 comentários

SENADO BANCA VIAGEM DE FILHA DE TUCANO A NOVA YORK
A filha do presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), viajou para Nova York com as despesas pagas pelo Senado, informa reportagem de Adriano Ceolin, publicada nesta segunda-feira pela Folha.

Segundo a reportagem, a advogada Helena Olympia de Almeida Brennand Guerra foi para os Estados Unidos em fevereiro de 2007 e gastou R$ 4.580,40 em diárias pagas com dinheiro público.A Folha teve acesso a um relatório da Secretaria de Controle Interno do Senado que pediu a devolução dos recursos. O documento foi entregue em fevereiro de 2008 e consta no relatório da Tomada de Contas do Senado já entregue ao TCU (Tribunal de Contas da União). O relatório do controle interno do Senado é embasado, sobretudo, na lei 8.112/1990. "O pagamento é devido exclusivamente a servidor público designado para missão oficial ou para colaborador eventual no exercício de missão oficial", diz o documento. "Portanto, o pagamento de diárias a Helena Olympia de Almeida Brennand, que não é servidora do Senado nem colaboradora eventual, infringiu as referidas normas", dizem os técnicos do Controle Interno.

Segundo o relatório, o senador viajou para Nova York em 5 de fevereiro de 2007 para realizar uma série de exames. Helena foi um dia depois. Ambos voltaram no dia 11.

A viagem foi autorizada pelo então presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que administrou a Casa entre fevereiro de 2005 e dezembro de 2007. Os dados constam no processo 011800-70.

Sérgio Guerra discorda de ter cometido irregularidade e afirma que, se tivesse sido cobrado, teria devolvido o dinheiro gasto com as diárias da filha.

O relatório foi encaminhado ao então diretor da Secretaria de Controle Interno, Shalom Granado. Ele discordou da recomendação dos técnicos, mas não deixou claro em seu despacho em que instrumento legal baseou a decisão de não cobrar a devolução do dinheiro.

Os técnicos do Controle Interno não abordaram o pagamento das passagens de Helena Guerra. Isso porque até abril deste ano os congressistas podiam gastar como quisessem suas cotas de passagens aéreas. Hoje, um bilhete para Nova York custa cerca de R$ 2.000,00.

Após a revelação de que deputados e senadores davam passagens para parentes, amigos e assessores, o Senado e a Câmara resolveram estabelecer regras mais rígidas para o uso da cota. A medida foi tomada também por determinação do Ministério Público Federal.

Além do caso do tucano, outros nove processos foram analisados. A lista inclui mais quatro senadores: Romeu Tuma (PTB-SP), Magno Malta (PR-ES), Edison Lobão (PMDB-MA) e Renato Casagrande (PSB-ES). Os técnicos relataram que os dois últimos não apresentaram os cartões de embarque, o que impede a verificação exata do número de diárias concedidas. A análise foi feita por amostragem.

O relatório diz que, em 2007, o Senado gastou R$ 843.532,60 com pagamento de diárias. No Brasil, foram gastos R$ 361.700,50. Já no exterior, o Senado pagou R$ 418.832,10.


COMENTÁRIO DO BLOG
Sem querer generalizar, como dito em postagem anterior, me parece que no Senado Federal é um sujo falando do mal lavado, ou seja, ningém pode falar de ninguém, todos tem o “rabo preso”, om raras exceções. O “ninho de cobras” é grande, que me perdoem as cobras.
E Vossa Excelência o Senador, ainda diz na maior cara de Amélia (perdoe-me também as Amélias) que se tivesse sido cobrado teria devolvido, será? Fico na dúvida: Sérgio Guerra aprendeu ou ensinou o Senador Artur Virgílio?
Ora Senador, Isso não deveria nem acontecer, vocês deveriam servir de exemplo, ao invés disso...
Hoje é discutível se assistir a TV Senado é bom ou ruim, principalmente para um jovem adolescente em formação, devido ao baixo nível das discussõs. Nas transmissões das sessões do Senado deveria aparecer uma tarja preta com a informação: IMPRÓPRIO PARA MENORES DE 18 ANOS.

E se alguém tem dúvidas quem pagou as passagens da filha do senador tucano Sérgio Guerra para Nova York que faça um comentário explicando, para que possamos ser esclarecidos desse ato lúcido e lícito que por ventura possa ter acontecido nesse emaranhado de podridão do nosso poder legislativo.

FILME DE CLÉBIO VIRIATO RIBEIRO

0 comentários

O AUTO DA CAMISINHA
Confira o Trailler do Filme O Auto da Camisinha do quixadaense Clébio Viriato Ribeiro, baseado na Obra de José Mapurunga, com partiipação de Chico Anysio, Gero Camilo, Carri Costa, Nádia Aguiar e grande elenco O Filme terá sua estréia nacional no dia 01 de dezembro nas principais cidades do pais. Imperdível.
Veja abaixo ou no Youtube colando o endereço na sua barra de navegação ou clicando no título desta matéria.
http://www.youtube.com/watch?v=QIoYG7fFQuw
video

O SUJO E O MAL LAVADO

0 comentários

MAIS UM BATE-BOCA NO SENADO, AGORA ENTRE RENAN CALHEIROS E TASSO JEREISSATI
A discussão entre Tasso e Renan começou após o senador tucano pedir que um homem fosse retirado do plenário porque estava se manifestando, e seundo Tasso, atrapalhando os parlamentares.
Aproveitando a oportunidade, o peemedebista e afirmou que Tasso queria expulsar um cidadão que estava participando de uma sessão histórica do senado e que ele era a "minoria com complexo de maioria", e apontou o dedo ao ex-governador do Ceará.

"Não aponte esse dedo sujo para mim", disse Tasso, que ouviu Renan responder: "Dedo sujo é o seu que usou dinheiro do Senado para pagar viagens no seu jatinho".

A discussão continuou e Tasso afirmou que o Renan é um "cangaceiro de terceira categoria" e ouviu palavras de calão em resposta. “De acordo com pessoas próximas ao microfone de Renan, o líder do PMDB se referiu a Tasso como "coronel de merda". O tucano afirmou que Renan será interpelado por quebra de decoro”.

COMENTÁRIO DO BLOG
E assim caminha o Senado brasileiro, atolado num “mar de lama” e pelo que se percebe difícil de sair dele, porém não impossível.

No próximo ano haverá eleições e o povo tem a oportunidade de tentar mudar essa atual situação e atuação vergonhosa dos nossos parlamentares.

E no placar das brigas no Senado:
1- Simon X Collor e Renan – leve vantagem para Simon que sofreu ameaças de Collor e não se intimidou;
2- Tasso X Renan – empate técnico (sujeira para todo lado).E assim caminha o Senado brasileiro.

20 ANOS DE MÚSICA DE GUARACY FREITAS

0 comentários




GUARACY FREITAS COMEMORA 20 DE MÚSICA COM SHOW

O Restaurante Pólo Grill mais uma vez, traz para o público quixadaense música de boa qualidade.

Comemorando 20 anos de música, Guaracy Freitas convida amigos para juntos celebrarem a data. Simplesmente imperdível. Além do ambiente agradabilíssimo, do bom atendimento, a certeza de se curtirmuita MPB e Rock que marcaram épocas.

O show acontecerá dia 27/08 no Polo Grill. Em breve mais detalhes do evento que tem a produção por conta da Fog Produções.

LÍDER DO PSDB NO SENADO ARTUR VIRGÍLIO, PROMETEU DEVOLVER DINHEIRO DE FUNCIONÁRIO FANTASMA,MAS NÃO O FEZ.

0 comentários

“QUEM TEM TELHADO DE VIDRO NÃO PODE ATIRAR PEDRA NO DO VIZINHO”
Desde 29 de junho, a revista ISTOÉ denunciou que o funcionário fantasma Carlos Alberto Nina Neto, filho de Carlos Homero Nina, amigo e subchefe de gabinete do Senador Artur Virgílio, foi contratado como assistente técnico em 2003, e recebia cerca de 10 mil reais por mês, e estudava na Espanha, e que apesar da ausência, Nina Neto continuou embolsando o salário.

A denuncia repercutiu na revista inglesa The Economist, Artur Virgílio admitiu o fato, como não poderia deixar de ser diante das provas cabais, e desde então prometeu devolver aos cofres públicos o dinheiro pago indevidamente ao funcionário. Chegou a anunciar que venderia imóveis para ressarcir o contribuinte, e até agora nada foi pago..

O senador deveria encaminhar ofício à Mesa Diretora pedindo o cálculo de sua dívida, o que parece não o ter feito até o momento.

Tucano diz que ainda espera cálculo do Senado para devolver dinheiro. A assessoria de Virgílio garante que ele fez o pedido à diretora de RH, Doriz Marize Peixoto, mas não apresentou cópia do ofício.

O senador Arthur Virgílio (PSDBAM) prometeu, mas ainda não cumpriu. Será mais uma promessa de político?

Se não quiser vender seus imóveis (tadinho) para não ficar desabrigado, a solução é realmente parcelar a dívida que estima-se em 210 mil reais. No Brasil tudo é possível, até mesmo parcelar dívida de corrupção.

EDITORIAL DO SITE VERMELHO -PARA REFLEXÃO

0 comentários

SENHORES SENADORES, DOBREM A LÍNGUA COM A PETROBRAS
Findo o recesso parlamentar, voltam a se assanhar os marimbondos, seja com a crise no Senado ou com a CPI da Petrobras. Há indícios de que o bloco oposicionista-midiático sairá do muro e priorizará a CPI. Ocorre que a rajada de denúncias de compadrios senatoriais, que se força a mão para descarregar sobre o solitário lombo do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), apresenta o risco de sair pela culatra. Ela alveja o PMDB, que a oposição sonha ter como aliado em 2010. E a nota assinada pelo presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), neste fim de semana, mostra que o tiroteio irrita peemedebistas num arco que vai bem além do Senado. Já a CPI, no planejamento oposicionista-midiático, tem como alvo o PT. Este é a sigla do presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, e o suposto beneficiário das denúncias garimpadas seletivamente para uso na comissão. Os senadores oposicionistas podem portanto agir sem receio de acertar potenciais aliados. Agregue-se que a Petrobras é, desde o berço, um desafeto histórico da corrente ideológica que hoje se opõe a Lula. Um de seus expoentes, Roberto Campos [1917-2001] só a chamava "Petrossauro". Há quem sonhe com uma CPI que represente a revanche face à autossuficiência petrolífera em 2007, a descoberta do pré-sal em 2008 ou os elogios à petroleira na mídia internacional em 2009.
Aí reside outro perigo para o bloco oposicionista-midiático: trata-se de uma empresa peculiar. Nem tanto pelo tamanho, pela galeria de êxitos, a excelência tecnológica ou a origem nos braços da campanha "O Petróleo é Nosso". Por tudo isso, mas para além de tudo isso, a Petrobras tornou-se no imáginário coletivo como uma espécie de ícone do Brasil que dá certo.
Os próprios oposicionistas, alertados por pesquisas, dão-se conta de que mexem com material inflamável. Caso seu discurso seja percebido como anti-Petrobras, hão de se haver não só com manifestações de petroleiros da FUP e estudantes da UNE. Esbarrarão em uma convicção enraizada na consciência brasileira – a mesma que em 2006 forçou Geraldo Alckmin ao patético gesto de cobrir-se com marcas de estatais, fantasiado de adversário das privatizações. O risco se aguça pois a Petrobras não se dispõe a cruzar os braços frente a uma CPI que considera despropositada e solerte. A criação do blog da empresa mostra que ela está disposta a travar uma batalha casa por casa na disputa da opinião pública. Não levará desaforo para casa.
Portanto, senhores senadores oposicionistas – inclusive os que se acoitam em siglas da base de apoio do governo –, dobrem a língua com a Petrobras. Uma CPI é um instrumento democrático de investigação e debate. E compreende-se que seja em primeiro lugar um instrumento das oposições (ainda que vetado em governos tucanos como o do ex-presidente Fernando Henrique, os dos governadores José Serra e Yeda Crusius).
Mas não se excedam em temeridades com seus palitos de fósforo. Não se fiem demais na cumplicidade midiática. Não afrontem o sentimento patriótico que se expressa no apreço pela Petrobras. Se o fizerem, é bem capaz que terminem lamentando que essa CPI, em vez de "acabar em pizza", exponha Vossas Excelências a um vexame como o de Alckmin em 2006, com 2,4 milhões de votos perdidos entre o primeiro e o segundo turnos da eleição.

Fonte: http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=60807

AGRIULTURA FAMILIAR

0 comentários

I FEIRA TERRITORIAL DA AGRICULTURA FAMILIAR
Acontecerá nos dias 7 e 8 de agosto, no Parque de Exposição Moises Ferreira, onde funciona a feira dos animais, na cidade de Quixadá, a “I FEIRA TERRITORIAL DA AGRICULTURA FAMILIAR E EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS DO SERTÃO CENTRAL”.

A Feira estará aberta para visitação de 8h as 23h, nos dois dias.O evento tem a seriedade e dedicação Sheila Gonçalves na organização e maiores detalhes pelos telefones: (88) 3414 6425 / 3414 6426

CRITICA DE ARIANO SUASSUNA SOBRE O FORRÓ ATUAL

0 comentários

Recebi este e-mail da amiga Edna Letícia e achei interessante publicar. Vou ficar devendo a fonte.


'TEM RAPARIGA AÍ? SE TEM LEVANTE A MÃO!'. A MAIORIA, AS MOÇAS, LEVANTA A MÃO.
Diante de uma platéia de milhares de pessoas, quase todas muito jovens, pelo menos um terço de adolescentes, o vocalista da banda que se diz de forró utiliza uma de suas palavras prediletas (dele só não, e todas bandas do gênero). As outras são 'gaia', 'cabaré', e bebida em geral, com ênfase na cachaça. Esta cena aconteceu no ano passado, numa das cidades de destaque do agreste (mas se repete em qualquer uma onde estas bandas se apresentam). Nos anos 70, e provavelmente ainda nos anos 80, o vocalista teria dificuldades em deixar a cidade.
O secretário de cultura Ariano Suassuna foi bastante criticado, numa aula-espetáculo, no ano passado, por ter malhado uma música da Banda Calipso, que ele achava (deve continuar achando, claro) de mau gosto.Vai daí que mostraram a ele algumas letras das bandas de 'forró', e Ariano exclamou: 'Eita que é pior do que eu pensava'. Do que ele, e muito mais gente jamais imaginou. Pra uma matéria que escrevi no São João passado baixei algumas músicas bem representativas destas bandas. Não vou nem citar letras, porque este jornal é visto por leitores virtuais de família. Mas me arrisco a dizer alguns títulos, vamos lá: Calcinha no chão (Caviar com Rapadura), Zé Priquito (Duquinha), Fiel à putaria (Felipão Forró Moral), Chefe do puteiro (Aviões do forró), Mulher roleira (Saia Rodada), Mulher roleira a resposta (Forró Real), Chico Rola (Bonde do Forró), Banho de língua (Solteirões do Forró), Vou dá-lhe de cano de ferro (Forró Chacal), Dinheiro na mão, calcinha no chão (Saia Rodada), Sou viciado em putaria (Ferro na Boneca), Abre as pernas e dê uma sentadinha (Gaviões do forró), Tapa na cara, puxão no cabelo (Swing do forró). Esta é uma pequeníssima lista do repertório das bandas.
Porém o culpado desta 'desculhambação' não é culpa exatamente das bandas, ou dos empresários que as financiam, já que na grande parte delas, cantores, músicos e bailarinos são meros empregados do cara que investe no grupo. O buraco é mais embaixo. E aí faço um paralelo com o turbo folk, um subgênero musical que surgiu na antiga Iugoslávia, quando o país estava esfacelando-se. Dilacerado por guerras étnicas, em pleno governo do tresloucado Slobodan Milosevic surgiu o turbo folk, mistura de pop, com música regional sérvia e oriental. As estrelas da turbo folk vestiam-se como se vestem as vocalistas das bandas de 'forró', parafraseando Luiz Gonzaga, as blusas terminavam muito cedo, as saias e shortes começavam muito tarde. Numa entrevista ao jornal inglês The Guardian, o diretor do Centro de Estudos alternativos de Belgrado. Milan Nikolic, afirmou, em 2003, que o regime Milosevic incentivou uma música que destruiu o bom-gosto e relevou o primitivismo estético. Pior, o glamour, a facilidade estética, pegou em cheio uma juventude que perdeu a crença nos políticos, nos valores morais de uma sociedade dominada pela máfia, que, por sua vez, dominava o governo.
Aqui o que se autodenomina 'forró estilizado' continua de vento em popa. Tomou o lugar do forró autêntico nos principais arraiais juninos do Nordeste. Sem falso moralismo, nem elitismo, um fenômeno lamentável, e merecedor de maior atenção. Quando um vocalista de uma banda de música popular, em plena praça pública, de uma grande cidade, com presença de autoridades competentes (e suas respectivas patroas) pergunta se tem 'rapariga na platéia', alguma coisa está fora de ordem. Quando canta uma canção (canção?!!!) que tem como tema uma transa de uma moça com dois rapazes (ao mesmo tempo), e o refrão é 'É vou dá-lhe de cano de ferro/e toma cano de ferro!', alguma coisa está muito doente. Sem esquecer que uma juventude cuja cabeça é feita por tal tipo de música é a que vai tomar as rédeas do poder daqui a alguns poucos anos.
Ariano Suassuna
COMENTÁRIO DO BLOG
Não temos nada contra o forró, até gosto do grupo Fala Manssa, Dominguinhos, Luiz Gonzaga e outros, porém esse forró atual banalizou a vida em sociedade, a ética, a moral e os bons costums. Não sou nenhum puritano, mas não é esse tipo de educação que quero dar aos meus filhos: serem chamados de puta, rapariga ou corno e ainda aplaudirem.
Para vender ou fazer sucesso não precisa desse tipo de apelação. Roberto Carlos está vendendo a 50 anos e nunca colocou emsuas letras palavras de calão.
Uma coisa há de ser dito: este tipo de coisa só vende por que tem quem goste. Há que nívelchega ogosto do povo.
.

20 ANOS SEM GONZAGÃO

0 comentários

NORDESTE LEMBRA 20 ANOS DA MORTE DE LUIZ GONZAGA

Luiz Gonzaga foi um dos ícones da música regional ao criar o Baião

Ele deixa uma turma de sanfoneiros tradicionais no Cariri

O ritmo inconfundível do "Rei do Baião" inspirou os universitários da Urca no "Forró Direito" (Foto: Antônio Vicelmo)

Joquinha Gonzaga, sobrinho de Luiz Gonzaga, no Parque Asa Branca, em Exu (PE), com o filho Januário
Hoje, faz 20 anos que o consagrado Rei do Baião deixou o Nordeste mas sua herança musical persiste no País Crato Vinte anos depois da morte de Luiz Gonzaga, o som de sua sanfona está cada vez mais presente nas salas de reboco das casas do sertão e nos mais diversos auditórios e palanques, enchendo de emoção e lirismo platéias de todas as categorias sociais. Em Exu (Pernambuco), sua terra natal, a programação comemorativa aos 20 anos da morte do Rei do Baião foi aberta, ontem, com uma "roda de sanfona", debaixo de um pé de juazeiro, no Parque Asa Branca. Em Juazeiro do Norte, sanfoneiros do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha homenagearam o velho "Lua" com uma retreta de sanfonas em torno de seu busto, na Praça do Memorial. Com forma também de homenagem e resgate da memória de Gonzagão, o poder público quer tombar Parque Asa Branca como Patrimônio Imaterial. O forró pé-de-serra, introduzido no Brasil pelo Luiz Gonzaga na década de 40, conquista o mercado, concorrendo com outros ritmos brasileiros e estrangeiros. "O baião, coco, rojão, quadrilha, xaxado e xote caracterizam o forró e tem cheiro de carne de bode assada", comparou o velho Gonzagão, acrescentando que é uma música com a cara do Nordeste, que canta, ri, chora e "faz pouco" do seu secular sofrimento. Luiz do Nascimento Gonzaga nasceu no dia 13 de dezembro de 1912, na Fazenda Caiçara, município de Exu, ao lado da casa onde morou a heroína cearense Bárbara de Alencar. Morreu no dia 2 de agosto de 1989, às 15h15, no Hospital Santa Joana, no Recife, onde estava internado há 42 dias. Seu corpo foi velado na Assembléia Legislativa de Pernambuco e enterrado na capela do Parque Asa Branca, em Exu, sua cidade natal. A escola gonzagueana está cada vez mais presente na vida das novas gerações, vindas das mais diversas categorias sociais. O vendedor de discos José Amilton Silva, proprietário da loja "Amilton Som", diz que Gonzagão continua sendo o maior vendedor de CDs do Cariri. "De vez em quando aparece uma novidade, um cantor novo que desponta no cenário artístico nacional, mas desaparece, enquanto a venda de discos de Gonzaga é constante", afirma.Amilton, que vende discos desde 1963, destaca que "Luiz Gonzaga interpretou o Nordeste em carne e osso, a poesia do povo, tradicional ou improvisada, transformada em canção, é um dos fenômenos mais ricos da cultura popular, pelo enfoque permanente de elementos históricos, tradicionais, emocionais e sociais". Ele foi o primeiro músico assumir a nordestinidade representada pela sanfona e pelo chapéu de couro. "Cantou as dores e os amores de um povo que ainda não tinha voz". ProgramaçãoA influência de Luiz Gonzaga na música nordestina está no terreiro de sua casa, Exu. O número crescente de seguidores do rei, como eles se autodenominam, transforma Exu e cidades vizinhas na terra dos sanfoneiros. Este ano não houve necessidade de contratar sanfoneiros de fora para a festa dos 20 anos de morte de Gonzagão. "A gente juntou mais de 20 sanfoneiros que se revezam no Parque Asa Branca para dois dias de puro forró", diz a coordenadora do Parque Asa Branca, Clemilce Parente. A homenagem ao cantor foi aberta ontem com um grupo de sanfoneiros, liderados por Joquinha Gonzaga e Joãozinho do Exu e termina hoje, com a realização de uma missa de ação de graças.HERANÇA CULTURALHerdeiros do "Rei" mantêm tradição musicalCrato. O mais legítimo representante da arte de Luiz Gonzaga é o neto de Januário e sobrinho de Gonzagão, João Januário Maciel, conhecido por Joquinha Gonzaga que, apesar de ter nascido no Rio de Janeiro, assimilou a cultura nordestina. Herdou do tio, Gonzagão, a mesma "puxada" de sanfona. "Essa puxada eu conheço, é a mesma de Januário", dizia Luiz Gonzaga, referindo-se ao sobrinho estimado. Luiz e Joquinha percorreram o Brasil cantando a música "Dá Licença P`rá Mais Um", em que o Rei do Baião apresentava seu substituto, cantando: "Se é de pai pra filho/ de filho para pai/ de sobrinho pra tio/ alguma coisa sai/ então vou por aí/por este mundo vou/ usando esta herança do meu tio e do vovô. Com residência na cidade de Exu (PE), Joquinha é um das mais requisitados sanfoneiros da região. Hoje, Joquinha Gonzaga é um dos grandes nomes do forró autêntico, com uma discografia de uma média de 15 LPs e CDs, com destaque para o CD Cantos e Causos, de Gonzagão, gravado em 2006, em que o artista fala de "causos" que presenciou nas viagens que fez com o tio Lula, canta músicas conhecidas de Gonzagão, de compositores conhecidos nacionais e regionais, e também de sua autoria. A escola gonzagueana está presente no meio universitário. Três acadêmicos do curso de Direito da Universidade Regional do Cariri (Urca), Marcos Eduardo, sanfoneiro; Robson Andrade, triângulo e voz, e Emerson Miranda, zabumba e voz, formaram o trio "Forró Direito" inspirados no Rei do Baião. O sanfoneiro Maurício Jorge, de Juazeiro do Norte, tinha apenas seis anos quando Gonzagão morreu. "Tenho um vaga lembrança do cortejo que passou em frente à minha casa com o corpo dele para ser enterrado em Exu", lembra. Com dois LPs gravados, Maurício cresceu ouvindo as músicas de Luiz. Hoje é um dos mais requisitados sanfoneiros da região, ao lado de Fábio Carneirinho. Mais informaçõesExu - Pernambuco Parque Asa Branca (87) 9626.4101 87) 3879 1216

ANTÔNIO VICELMO
REPÓRTER