INDIGNAÇÃO

O POVO FALA, ENQUANTO O CONGRESSO CALA


Ontem fizemos uma postagem sobre a farra dos parlamentares ao legislarem em causa própria, aumentando imoralmente seus salários.


Recebemos alguns e-mais e hoje publicamos o do amigo Renato Moreira Abrantes, que mostra o quanto causa indgnação essa verdadeira palhaçada, como trata o e-mail.


Que coisa linda!!!


Vez por outra, o (Circo) Congresso Nacional apronta das suas. No apagar das luzes, que é quando acontecem os maiores roubos, nossos “parlamentares” aprovaram um aumento astronômico em seus próprios vencimentos. Por extensão, os deputados estaduais e os vereadores, que têm seus subsídios ajustados de acordo com os dos (circenses) congressistas, também perceberão uma considerável dilatação para mais no seu contracheque.

O mais assustador é que, como quem rouba galinha, a votação tramitou com a velocidade de um raio na (lona 1) Câmara dos Deputados e, logo mais, mas não menos ágil, na (lona 2) Senado Federal.

O reajuste foi pequeno, na margem de, apenas, 70%. Também pudera, não é?!?! Há quase três anos, os nobres não tinham aumento.

Um dos (artistas) deputados, com uma empáfia de causar medo em Hitler, disse que achava o aumento muito justo e que “parlamentar” deveria ganhar bem mesmo, por causa da responsabilidade do cargo. Outro, um pouco menos cínico, mas muito mais criativo, disse que a inflação do período contribuiu para o desgaste dos vencimentos. Fiquei sabendo que, na Câmara dos Deputados, somente três membros não votaram a favor do reajuste.


Em meio a isso tudo, eis que o Palhaço Tiririca (esse, sim, DEPUTADO DE VERDADE) faz a sua primeira visita ao parlamento. E, como quem chega em hora de almoço, fez uma afirmação macarrônica: “cheguei em hora boa”. Claro que sim, no (Circo) Congresso Nacional, o Deputado José Everardo (o Tiririca da Florentina de Jesus) sentir-se-á completamente à vontade com seus pares, os (palhaços) deputados.


Começo a admirar o sujeito (o Deputado-Palhaço Everardo-Tiririca): ele não se intimida e diz abertamente o que pensa. Aumenta em mim o asco que sinto pela política brasileira: nossos parlamentares também não se intimidam, porém, diferentemente do Tiririca, não têm a coragem de falar abertamente a que vieram (sugar o dinheiro público). E fico com inveja dos países civilizados, em que Parlamento é Parlamento e Circo é Circo.


Estou ansioso por assistir ao primeiro discurso do Tiririca, pois de palhaçada já estou cheio.

__________


Minhas sinceras desculpas aos artistas circenses pela comparação.



O SILÊNCIO É DE OURO


Renato Moreira de Abrantes

1 comentários: