E A POLÍTICA É ASSIM

A INVERSÃO DE VALORES

Assistindo um programa de debate ontem, vi uma situação que me chamou a atenção e nos leva a uma reflexão: de um lado o PSDB defendendo a CPI da Petrobrás, exigindo transparência, moralidade e do outro o PT que resistiu à criação dessa CPI, e que agora luta para compor com a base governista a presidência e a relatoria dessa comissão, os dois cargos mais importantes.

O que causa mais espanto é que se percebe que a instauração dessa CPI é meramente política, pois se a intenção era saber como estão as contas e como está sendo aplicado o dinheiro da empresa, que se contratasse uma auditoria e saberíamos onde estariam as irregularidades e se sanavam os problemas, sem colocar em riscos a imagem e os investimentos feitos pela Petrobrás e por investidores na Petrobrás.

O pior é ver o senador Tasso Jereissate posar de paladino da ética e da moral, logo ele, centro da crise no Senado pelo uso indevido de passagens aéreas, criticar o governo por não querer que a oposição faça parte de um dos cargos citados anteriormente. Uma perguntinha: quantas vezes na época do governo do FHC do PSDB, a oposição assumiu um desses cargos em qualquer se seja a CPI? Isso quando se conseguia instaurar uma, já que o governo barrava a criação da maioria delas.

Como dizia Renato Russo, “que país é esse?” e eu complementaria: que políticos são esses?

2 comentários: